Há exatos 10 anos, no dia 23 de março de 2011, o Atlético lançava a campo um menino franzino, revelação da base e que no futuro se tornaria um grande atacante, o jovem Bernard. Foi em uma partida contra o Uberaba, pelo Campeonato Mineiro, que o menino, ainda desconhecido por muitos, debutou com o manto atleticano pela primeira vez como profissional.

Na época, o técnico do Atlético era Dorival Júnior e o comandante comentou sobre a estreia de Bernard no time principal. Bernard mostrou personalidade mesmo atuando improvisado na lateral-direita.

“Foi até acima do que esperávamos. É um garoto que promete muito e que, mesmo fora de função, mostrou que, quando o atleta está determinado, pode produzir e render independente do setor onde esteja atuando. Ele foi muito bem e nos surpreendeu positivamente”

Bernard também falou sobre a sua estreia.

“Acho que me saí bem, mesmo estando fora da minha posição. O Dorival me deu oportunidade na lateral e tenho que dar o meu máximo, me adaptando a cada dia. O Atlético teve determinação, concluiu várias vezes e teve maior posse de bola, mas não conseguimos marcar os gols”

TEMPORADA 2011

Após ganhar uma chance nos profissionais, Bernard teve que dividir o tempo atuando, além pelo time principal, pelo time sub-20. O melhor ainda estava por vir, atuando como capitão, Bernard foi campeão e eleito o melhor jogador do Torneio ICGT na Holanda. Em julho e agosto, o jovem ainda atuou na campanha do Galinho no pentacampeonato da Taça BH de Futebol Júnior, inclusive, com ele marcando o gol do título diante do Fluminense na final.

Dorival Júnior acabou sendo demitido do Atlético durante a temporada 2011, com isso, chegou o técnico Cuca, que deu mais oportunidades a Bernard no Campeonato Brasileiro. Após um ano de realizações, Bernard foi eleito a revelação do ano do Troféu Guará, prêmio concedido aos melhores jogadores do futebol mineiro no ano.

TEMPORADA 2012

Mirando os jogos Olímpicos de Londres, Bernard iniciou 2012 com tudo e mais confiante do que nunca. Logo no primeiro jogo do Galo na temporada, o atacante marcou um belo gol contra o Boa Esporte, na Arena do Jacaré, pelo Campeonato Mineiro, o primeiro dos 22 gols como profissional.

Dois jogos depois, Bernard mostrou o seu faro pelo gol aos atleticanos novamente. Na partida contra a Caldense, o atacante balançou as redes. Mas foi na grande final do Campeonato Mineiro que Bernard se consolidou como um dos principais jogadores do Galo da atualidade. Contra o América, ele marcou 2 dos 3 gols contra o Coelho e ajudou o Atlético a conquistar mais um taça do Estadual.

Após o Campeonato Mineiro vinha o maior desafio de Bernard: ser titular do Galo no Campeonato Brasileiro. E o atacante não deixou a desejar. Com lindas jogadas e belas partidas, Bernard começou a ganhar destaque nacional principalmente após o belo lance que ele proporcionou na vitória do Galo sobre o Grêmio, no estádio Olímpico, em Porto Alegre. Ele deu dois chapéus dentro da área e tocou para Jô fazer o gol da vitória atleticana. O lance foi tão genial, que até a FIFA deu destaque.

Depois vieram outras grandes partidas de Bernard no Brasileirão, muitas delas tendo o jovem como decisivo em uma grande parceria com outro ídolo, Ronaldinho Gaúcho. Outro gol que ficou marcante na carreira do menino atleticano, foi a obra prima diante do Sport, na Ilha do Retiro.

O bom momento de Bernard lhe rendeu uma convocação para a Seleção Brasileira para dois amistosos contra a Argentina, pelo Superclássico das Américas.

Por fim, na última rodada do Campeonato Brasileiro, Bernard marcou um gol contra o Cruzeiro, o primeiro dele no clássico. Ao final da temporada, Bernard conseguiu levar o Atlético ao vice-campeonato brasileiro e conquistou a artilharia do clube na competição e em toda temporada. Bernard foi eleito a revelação do campeonato na Bola de Prata da Revista Placar e no prêmio Craques do Brasileirão da CBF. E como em 2011, teve seu nome marcado mais uma vez no Troféu Guará.

TEMPORADA 2013

A temporada 2013 foi o ápice de Bernard. Cada vez mais em alta no futebol mineiro e brasileiro, chegou a tão sonhada disputa da Copa Libertadores. O Atlético voltava a competição depois de 13 anos e Bernard foi um dos principais jogadores naquela conquista épica e inesquecível.

Bernard deus as cartas logo no segundo jogo da competição. Em um partida na Argentina diante do Arsenal de Sarandí, o jogador marcou um hat-trick histórico na goleada de 5 a 2 do Galo. Foi a maior vitória de um clube brasileiro em solo argentino pela Libertadores.

O Galo foi o líder geral da primeira fase da Libertadores e caminhou para o bicampeonato do Campeonato Mineiro. Após levantar mais um troféu, Bernard foi convocado novamente para a Seleção Brasileira, desta vez para a Copa das Confederações.

De volta a Libertadores, Bernard mostrou novamente o seu poder de decisão. No jogo de vida ou morte diante do Newell’s, da Argentina, o Galo precisa vencer por 2 ou mais gols de diferença e o menino atleticano, logo de ccara, marcou o primeiro gol que abriu a vitória na semifinal.

Já na grande final da Libertadores, Bernard deu assistência que garantiu a prorrogação do jogo, praticamente se arrastando em campo, com muita câimbra por excesso de raça e vontade. Tanto sacrifício valeu a pena, pois nas cobranças de pênaltis contra o Olímpia do Paraguai, Bernard pode, enfim, comemorar o título da Libertadores.

A DESPEDIDA

Logo depois do título continental, Bernard fez a sua última partida com a camisa do Galo e curiosamente, o seu último gol. O Galo foi derrotado por 2 a 1 pelo Athletico-PR, no Horto. Na semana seguinte, o Atlético oficializava a venda de Bernard por R$ 77 milhões ao Shakhtar Donetsk da Ucrânia, se tornando a maior transação da história do Alvinegro e do futebol mineiro.

Com informações do site oficial do Atlético e da enciclopédia GaloDigital

23 de março de 2021
Este artigo não possui comentários

Os comentários estão fechados.